Header Ads

Que eram os filhos de Deus em Gênesis 6?

Que eram os filhos de Deus em Gênesis 6?
Gênesis 6:1-4 “E aconteceu que, como os homens começaram a multiplicar-se sobre a face da terra, e lhes nasceram filhas, viram os filhos de Deus que as filhas dos homens eram formosas; e tomaram para si mulheres de todas as que escolheram. Então disse o Senhor: Não contenderá o meu Espírito para sempre com o homem; porque ele também é carne; porém os seus dias serão cento e vinte anos. Havia naqueles dias gigantes na terra; e também depois, quando os filhos de Deus entraram às filhas dos homens e delas geraram filhos; estes eram os valentes que houve na antiguidade, os homens de fama”.

Quem eram os filhos de Deus em Gênesis 6? Esta tem sido uma passagem altamente contestada durante muitos anos, embora, aparentemente, originalmente não era. Para os primeiros judeus, isso estava se referindo a anjos. Por alguns milhares de anos, esta era a interpretação favorável e até apenas algumas centenas de anos atrás que o racionalismo e a mente moderna descartaram isso como sendo impossível. Em primeiro lugar devo dizer que acho que pode ser um pouco presunçoso fazer tal afirmação dogmática sobre algo que sabemos tão pouco, especialmente quando a evidência está tão fortemente a favor deste ponto de vista. A única coisa que eu encontro na Bíblia que parece se opor a isso, seria a declaração de Jesus que os anjos não se casam (Mateus 22:30). Mas Jesus não diz que eles não podem se reproduzir. Agora, para nós, a reprodução sem casamento parece ser algo muito errado, e para nós é errado. O casamento é a instituição que Deus deu ao homem para reproduzir a vida aqui na terra. Mas não sabemos que tipo de sistema Deus ordenou para os anjos no céu. Os animais acasalam e reproduzem sem casamento, por isso parece pelo menos factível que os anjos possam fazê-lo. Nós simplesmente não temos conhecimento suficiente do reino angélico para fazer declarações duras do que fazem e não fazem com base apenas em nossas suposições.

A interpretação alternativa deste verso é que as filhas dos homens se refere aos descendentes de Caim e os filhos de Deus se refere aos descendentes de Sete. Parece estranho que a frase, "as filhas dos homens (Adão)", remete para a linhagem pecaminosa específica de Caim quando até mesmo o próprio Jesus é chamado de o Filho do Homem.

A tradução literal deste verso é: "E os filhos de Elohim viram que as filhas de Adão eram boas (belas), e tomaram para si mulheres quem eles escolheram" . . ., portanto, parece inegável que o Adão mencionado fala da descendência de Sete. A frase ocorre na história de Noé, logo depois de mostrar a descendência de Adão; Caim é absolutamente preterido, mesmo no relato do nascimento de Sete, que é descrito como o primogênito de Adão, tal como legalmente ele era. . .. Os cananeus já tinham sido descritos como violentos e lascivos, e sua história tinha chegado a um fim. Além disso, no versículo 3 "o Adão com quem Deus não vai contender para sempre" é certamente a família de Sete, que, embora sendo o povo escolhido e possuidores da primogenitura, são, no entanto descrito como caindo em maus caminhos.

Além disso, não parece provável que os filhos de Deus se referem a homens no Velho Testamento que não haviam sido resgatados. É através do espírito de adoção, Romanos 8:15 que somos adotados como filhos de Deus. Israel era visto como sendo um filho coletivo de Deus (Êxodo 4:22-23), mas nunca como filhos individualmente. Mas nós vemos claramente que os anjos são chamados os filhos de Deus (Jó 1:6; 2:1; 38:7).

Este capítulo continua a dizer que quando Deus olhou para a terra que, "e eis que estava corrompida; porque toda a carne havia corrompido o seu caminho sobre a terra. Então disse Deus a Noé: O fim de toda carne é chegado perante mim; porque a terra está cheia da violência dos homens; eis que os destruirei juntamente com a terra". (V. 12-13) Toda a carne estava corrompida, mas ele diz que, "Noé era um homem justo e perfeito em suas gerações" (grifo nosso). Poderia isso estar dizendo que Noé e sua família não tinham se misturado com esses outros, e que uma das razões porque Deus destruiu a terra foi para que ele pudesse começar a humanidade com uma raça não corrompida?

II Pedro 2:4-6 “Porque, se Deus não perdoou aos anjos que pecaram, mas, havendo-os lançado no inferno, os entregou às cadeias da escuridão, ficando reservados para o juízo; E não perdoou ao mundo antigo, mas guardou a Noé, a oitava pessoa, o pregoeiro da justiça, ao trazer o dilúvio sobre o mundo dos ímpios; E condenou à destruição as cidades de Sodoma e Gomorra, reduzindo-as a cinza, e pondo-as para exemplo aos que vivessem impiamente”

Agora, outra queda além da queda de Satanás e seus anjos deve estar em exibição aqui, porque eles ainda estão aguardando a sua prisão, e agora estão livres para vagar pela terra (Mateus 25:41; Apocalipse 20:10). Então de onde é que Pedro tirou esta ideia? A interpretação mais provável é que este está em linha com os dois versos seguintes. Se for esse o caso, então é interessante que ele fala do diluvio no versículo seguinte, que é registrado logo após o relato dos filhos de Deus em Gênesis. Quando Deus decidiu agir, ele "não poupou os anjos", ele também teve ação sobre o mundo e "não poupou ao mundo antigo". Ele passa a falar de Sodoma e Gomorra, cuja história também segue depois na cronologia. Além disso, este capítulo inteiro tem muito a dizer sobre a luxúria e fornicação, assim como o livro de Judas.

Judas 6-8 “aos anjos que não guardaram o seu principado, mas deixaram a sua própria habitação, ele os tem reservado em prisões eternas na escuridão para o juízo do grande dia, assim como Sodoma e Gomorra, e as cidades circunvizinhas, que, havendo-se prostituído como aqueles anjos, e ido após outra carne, foram postas como exemplo, sofrendo a pena do fogo eterno. Contudo, semelhantemente também estes falsos mestres, sonhando, contaminam a sua carne, rejeitam toda autoridade e blasfemam das dignidades”.

Esta passagem parece dar mais credibilidade à crença de que os filhos de Deus em Gênesis eram de fato anjos. Judas diz que eles não guardaram seu primeiro estado (arché, origem, principio), mas deixaram a sua própria habitação (oiketerion, habitação, morada). Agora, que outros reinos conhecemos além do espiritual e o físico? Parece que esses anjos deixaram a região celeste que Deus tinha designado para eles e se aventuraram no reino do homem de uma forma que era proibido. O próximo verso diz que Sodoma e Gomorra fizeram "da mesma maneira com eles" se entregaram à fornicação e indo após "carne estranha". O pecado de Sodoma e Gomorra foi o mesmo "deles", os anjos. Vemos as pessoas de Sodoma e Gomorra indo atrás de "carne estranha" quando os anjos chegaram para destruir as cidades (Gênesis 19:2-4).

O verso seguinte também afirma que, "também estes, semelhantemente adormecidos, contaminam a sua carne". Cada vez que a imoralidade sexual com a "carne" está envolvida com o pecado deles, como está em II Pedro, o tema ou contexto do capítulo tem mais a dizer sobre a luxúria. Parece que tanto Pedro como Judas pegam a história mais completa do livro de Enoque, que Judas realmente cita nos versos 14 e 15, e Pedro pode aludir a outro lugar. O livro de Enoque conta com grandes detalhes a história dos anjos tendo relações com as pessoas, citando até mesmo o nome de vários deles. O livro apócrifo de Tobias apresenta esta história também. Embora estes livros não sejam inspirados ou escritura, isso não é motivo para descartá-los como não sendo relatos precisos da história. A história deles, juntamente com tudo o mencionado anteriormente parece construir um forte argumento para a ideias de que os filhos de Deus em Gênesis 6, na verdade, eram anjos.

Nenhum comentário:

Os comentários deste blog são todos moderados, ou seja, eles são lidos por nós antes de serem publicados.

Não serão aprovados comentários:

1. Não relacionados ao tema do artigo;
2. Com pedidos de parceria;
3. Com propagandas (spam);
4. Com link para divulgar seu blog;
5. Com palavrões ou ofensas a quem quer que seja.

ATENÇÃO: Comentários com links serão excluídos!